Sobre marcas, rótulos e boa comunicação de vinhos e produtores

Muitos produtores vinícolas surpreendem-se com a dificuldade em encontrar um bom nome para o seu vinho. Este trabalho pode tornar-se uma tarefa angustiante, principalmente quando descobrem que muitas das suas escolhas já foram registadas. Há empresas de “naming” e um copywriter experiente, como encontra na Wine & Shine, saberá ajudar. Veja aqui as regras base:
[[MORE]]
AS 5 BASES DE UM NOME EFICAZ PARA UM VINHO OU PRODUTOR
Inspiradas na compilação feita por Susan Ward, uma consultora de TI em "5 Rules for Choosing a Business Name - How to create a Wining Business Name"

1) Um bom nome é memorável e fácil de soletrar - É crucial que os seus clientes se lembrem do nome do seu vinho ou empresa. E sejam capazes de encontrá-lo numa lista ou na internet. Siglas e grafias difíceis são má ideia. Ninguém se lembra de um nome como “HMNIRSSE”. Se pensa exportar, deve ter atenção à leitura e sentido noutras línguas. 2) Um bom nome tem um elemento visual - O que lhe veio cabeça ao ler “HMNIRSSE”? Provavelmente nada. E em “Vinha Azul”? O ser humano está preparado para “ver” imagens quando lê ou ouve algo. Incorporar um elemento visual no nome pode ser uma poderosa ajuda para a memória (e para a sua publicidade). 3) Um bom nome tem uma conotação positiva - Muitas palavras têm uma denotação (significado literal) e uma conotação (significado emocional). Um exemplo é a diferença entre “Pinga” (que tem uma conotação com o modo de beber) e “Gota” (que tem uma conotação neutra). Ao criar o nome deve escolher palavras com conotações positivas adequadas. Se o vinho é jovem e leve, o nome “Primavera” será mais adequado do que “Trovão”.
4) Um bom nome transmite a essência do vinho ou produtor - O nome torna-se uma extensão natural da marca, e demonstra ao mundo os seus valores e posicionamento. Procure incorporar tanto os seus valores como as características distintivas da sua empresa de uma forma memorável e consistente. 5) Um bom nome é bastante curto - É um passo para que os clientes sejam capazes de o memorizar. Mas também é importante para fins práticos e promocionais: será mais fácil enquadrá-lo num rótulo, cartão de visita, anúncio, ou surgir bem posicionado na pesquisa na internet.

Rita Monteiro
Copywriter na Wine & Shine

Se gostou deste artigo leia também:
Como criar um bom nome para um vinho? (II) Tipos de nomes
Como criar um bom nome para um vinho? (III) As técnicas de criação e registo de nomes

Muitos produtores vinícolas surpreendem-se com a dificuldade em encontrar um bom nome para o seu vinho. Este trabalho pode tornar-se uma tarefa angustiante, principalmente quando descobrem que muitas das suas escolhas já foram registadas. Há empresas de “naming” e um copywriter experiente, como encontra na Wine & Shine, saberá ajudar. Veja aqui as regras base:

AS 5 BASES DE UM NOME EFICAZ PARA UM VINHO OU PRODUTOR

Inspiradas na compilação feita por Susan Ward, uma consultora de TI em "5 Rules for Choosing a Business Name - How to create a Wining Business Name"

1) Um bom nome é memorável e fácil de soletrar - É crucial que os seus clientes se lembrem do nome do seu vinho ou empresa. E sejam capazes de encontrá-lo numa lista ou na internet. Siglas e grafias difíceis são má ideia. Ninguém se lembra de um nome como “HMNIRSSE”. Se pensa exportar, deve ter atenção à leitura e sentido noutras línguas.

2) Um bom nome tem um elemento visual - O que lhe veio cabeça ao ler “HMNIRSSE”? Provavelmente nada. E em “Vinha Azul”? O ser humano está preparado para “ver” imagens quando lê ou ouve algo. Incorporar um elemento visual no nome pode ser uma poderosa ajuda para a memória (e para a sua publicidade).

3) Um bom nome tem uma conotação positiva - Muitas palavras têm uma denotação (significado literal) e uma conotação (significado emocional). Um exemplo é a diferença entre “Pinga” (que tem uma conotação com o modo de beber) e “Gota” (que tem uma conotação neutra). Ao criar o nome deve escolher palavras com conotações positivas adequadas. Se o vinho é jovem e leve, o nome “Primavera” será mais adequado do que “Trovão”.


4) Um bom nome transmite a essência do vinho ou produtor - O nome torna-se uma extensão natural da marca, e demonstra ao mundo os seus valores e posicionamento. Procure incorporar tanto os seus valores como as características distintivas da sua empresa de uma forma memorável e consistente.

5) Um bom nome é bastante curto - É um passo para que os clientes sejam capazes de o memorizar. Mas também é importante para fins práticos e promocionais: será mais fácil enquadrá-lo num rótulo, cartão de visita, anúncio, ou surgir bem posicionado na pesquisa na internet.

Rita Monteiro

Copywriter na Wine & Shine

Se gostou deste artigo leia também:

Há 1 ano

Share